5 de março de 2007

Tempo, nosso bem mais precioso.

Falar da correria do final de semestre foi proposital no último post. O final de semestre me encanta, me fascina, me transforma, me sinto um gênio, um homem com sua cópia!

Nesta época ando a passos largos, faço 10 coisas ao mesmo tempo, termino 10 coisas ao mesmo tempo, se bobear, as 10 no mesmo dia. Nesta época as prioridades ficam claras, as necessidades evidentes, os prazos não passam de poucas horas, as decisões sempre certeiras. A cada dia uma nova batalha travada, uma nova batalha vencida, sem aquela sensação de não ter evoluído nada.

De onde sai toda esta produtividade? Tentei relembrar e listar algumas atitudes tomadas no final de semestre:
  • listar tarefas: nesta lista vão todas as tarefas a serem desenvolvidas nesta época;
  • estabelecer prazos: definir um tempo para o término de cada tarefa, seja arrojado nos seus prazos, isso fará a diferença;
  • priorizar: estabelecer uma ordem para as tarefas, geralmente as que oferecem maior risco têm maior prioridade;
  • tarefas diárias: listar em um papel as suas atividades do dia, mas tem que ser em papel, aquela história de todo list na internet não funciona;
  • focar: talvez seja a mais importante das atitudes, manter o foco nas tarefas que estão na sua lista do dia, nestas tarefas desenvolver apenas o necessário, para que o prazo arrojado seja alcançado;
  • focar: estou batendo nesta tecla novamente devido a sua importância, tente não mudar o seu contexto de trabalho, iniciou uma tarefa, continue nela até terminar;
Escrevi sobre isso porque estou me sentindo improdutivo no mestrado. Durante o post fui me deparando com vários erros que estou cometendo:
  • Não estou fazendo minha lista diária de tarefas. Como vou saber se alcancei meus objetivos do dia?
  • Estou trocando de contexto direto. Estou lendo um artigo, dai vejo uma referência, parto a procura desta referência, depois tento implementá-la. Cadê o foco Giovane?
  • Não estou dando prazo para as minhas tarefas. Pior situação que pode existir, você fazer algo que tenha tempo ilimitado. XP já dizia: "Se tiveres 8 horas para fazer algo, você vai usar as 8 horas. Se tiveres 16 horas para fazer a mesma coisa, você vai usar as 16 horas."
Uma coisa é certa, vou ser um guerreiro de final de semestre o ano todo. Não é pelo meu chefe, não é pelo prêmio de melhor do mês, não é por ninguém além de mim. Quero evoluir diariamente, quero fazer a diferença, para isto, quero cuidar do meu bem mais precioso, quero que isso faça parte da minha cultura!

E você como tem cuidado do seu bem mais precioso?
Continuas escondido nas estimativas de 16 horas para aqueles relatórios que consegues fazer em 8 horas? Continuas nos fóruns da vida e indo para casa com a sensação de nada feito?
Se não, me conte como mantém a sua produtividade!

3 comentários:

mds disse...

Antes de responder como mantenho minha utópica produtividade, vou responder à primeira pergunta:

- E você, como tem cuidado do seu bem mais precioso?

É muito complicado não ser pego pela teia que nos cerca. O povo, na sua maioria, é malandro, ignorante e, como "bom" brasileiro, espertinho. Talvez você deve estar se pensando agora: esse cara é louco ou no mínimo arrogante, pois o pessoal daqui não é nada disso. Se não estiver, perdão, mas se estiver, pode ter certeza que eu estou pensando que o ambiente que você está favorece você na sua busca pelo conhecimento (claro que isso não tira o teu mérito).

Por essas e outras, não cair nesse buraco sem fundo, nessa vida de dormir cedo na sexta pra acordar bem na segunda, eu pratico um exercício que está em falta na agenda de grande parte do povo: leitura.

Sobre a segunda “pergunta”:

- Me conte como mantém a sua produtividade.

Sempre que saio para almoçar com o pessoal do suporte da empresa onde trabalho, fico escutando as reclamações (com razão) deles sobre os clientes. Sabemos que o trabalho que esse pessoal realiza é digno de um troféu, porque aturar alguém do outro lado da linha/msn se passando por machão ou faltando com respeito, fere o ego de qualquer um. No entanto, digo e repito todas as vezes a mesma e imutável frase: “faça o que for possível, afinal mais do que isso é impossível”.

Aparentemente é uma frase besta, porem com um sentido profundo no meu ponto de vista. O que eu tento passar com ela é a mensagem de que não adianta se retorcer, desdobrar e transformar em 10, 20 ou 30, sempre haverá mais coisa a fazer. Portanto, faça o que for possível, mas sempre da melhor maneira.

É exatamente isso que faço para manter a produtividade: faço o possível e sempre da melhor maneira.

Não sei sugerir um roteiro tal como você fez, mas posso opinar sobre o seu. Eu resumiria os quatro primeiros itens em uma só palavra: Planejar. Essa é a alma do negócio. Diferentemente do que já ouvi por aí, planejar não é “dedicar algumas horas para definir o que fazer”. Planejar é “aproveitar com efetividade o tempo disponível para definir algumas metas e, o mais importante, rever o que for preciso quanto achar necessário”.

Sobre os últimos dois itens (os iguais), é nessa hora que o cidadão deve levantar a cabeça, estufar o peito e ir em frente, sobre tudo e todos (dentro dos limites).

Parafraseando Nizan Guanaes:

“Não use Rider, não dê férias a seus pés. Não se sente e passe a ser analista da vida alheia, espectador do mundo, comentarista do cotidiano, dessas pessoas que vivem a dizer: eu não disse!, eu sabia!”
Falou, abraços Cem! hehehe

Marcos

Giovane Roslindo Kuhn disse...

E aí Marcos, bem vindo ao blog!

Sobre a pergunta de como você está mantendo seu bem mais precioso, talvez tenha me expressado mal!
Meu objetivo era saber como o pessoal está cuidando do seu tempo em horário de trabalho, naquelas 6~12 horas que deveríamos estar focados em nossas atividades profissionais!

Sobre a produtividade concordo que a palavra chave seja planejar, mas evitei mencionar este termo por achar amplo demais. Existem muitas atividades envolvidas no planejamento, e são nos detalhes destas atividades que eu gostaria de ter chegado, ou pelo menos que o pessoal relatasse que outras atividades desenvolvem para manter a produtividade.

Quando você não tem um chefe, não tem ninguém te gerenciado, e deixa de aplicar algumas regrinhas básicas de planejamento, é muito fácil você perder o foco e passar semanas a fio sem evoluir nada!
Digo isso pela experiência do mestrado, para entrar neste rumo é fácil, fácil!

Abraço bróder, e manda pau no TCC e beijo pro Roque

mds disse...

Valeu brow.

Os beijos eu mando sim, mas pra filha dele hahah

T+.