17 de outubro de 2007

Escravidão contemporânea.

[ligar modo vá pra PQP]

Eu, Giovane Roslindo Kuhn, acabo de virar gerente de tecnologia de uma das maiores empresas desenvolvedoras de software do mundo. Nossa sede é na "Perdiganha", frio pra caralho =( , mas temos contratos com as maiores montadoras de "tapetes voadores" da Zuropa =D. Sim, desenvolvemos grande parte dos sistemas que rodam nestas grandes montadoras, com isso, precisamos utilizar o que há de mais moderno em tecnologia para atender a demanda destes sistemas (Java, Ruby, Pyton, C#).

Ok, ok, não vou mentir. Existe o legado nestas empresas, e consequentemente nos nossos sistemas também. Tem muita fábrica de "tapetes voadores" que ainda utiliza os bons e velhos mainframes. Qual o problema? Bom, o cobolzão ainda tem que rolar solto em muito dos nossos sistemas. Eu como gerente me vi numa fria, achar mão de obra aonde? Qualquer dinossauro que saiba programar Cobol que se preze, custa o OLHO-DA-CARA aqui na "Perdiganha", afinal eles são uma raridade.

Já sei, eu sou um gênio! Vou abrir uma filial em algum país emergente, conseguir mão de obra em Cobol barata, e com isso deixar meus superiores bem felizes =D!
China? Hmmmm, eles não tem muita fama de falar alemão.
Índia? Eles programa bem, mas será que ainda Cobol?
Brasil? Boaaaaa, ótima idéia. Existem diversas colônias "perdigãs" por lá, além de ser um povo alegre, criativo, receptivo. Eu sou foda, achei a solução. Brasil aí vou eu!

[alguns meses]

Oi pessoal, aqui estou eu no Brasil. Escolhemos a cidade de Blumenau para a nossa filial =D, conseguimos bastante barganha fiscal, é uma região em que bastante gente fala "perdigão", além de ser considerada um celeiro em empresas de software. Mão de obra não vai faltar, estou certo disso =D!

[algumas semanas]

Pessoal, estou fudido! O povo daqui fala um "perdigão" de colônia, ninguém lá na matriz da "Perdiganha" está entendendo, muito menos os nossos clientes montadores de "tapetes voadores". Outro problema, a mão de obra em Cobol é MUITO-CARA! Eu achei que este povo ainda programasse em Cobol. Mas não se preocupem, já tenho uma grande solução, pois eu sou um gênio!

Vou sugerir as universidades ensinarem Cobol, claro! Em pouco tempo vou ter vários estagiários craques em Cobol, com custo zero para ensiná-los, além de pagar bem poquinho. Ok, ok, vou ter que dar um cursinho de "perdigão" pra essa galera! Hahahahaha, eu sou foda, meus custos são baixíssimos, meus superiores vão ficar felicíssimos comigo =D! Estarei ajudando a região, afinal coloquei uma nova cadeira na universidade local, COBOL! Ué, universidade não é pra ser um berço de tecnologia? Olha a tecnologia se disseminando por aí! Além do que, estarei dando oportunidade pra mulecada "trabalhar" em uma mega-power-ultra-amazing-crazy multi-nacional =D!

[desligar modo vá pra PQP]

Vá-cata-coquinho multi-nacional da p**** com essa sua escravidão contemporânea escancarada!

4 comentários:

Anônimo disse...

huhuahuahua
cara muito bom. Seria muito engraçado esse post, se ele não fosse a verdade que ocorre em nossa área.
Parabéns! Estava cansado de ler em blog daqui apenas coisas como 'como ser o melhor programador de sua empresa' ou 'você é tão bom quanto deveria ser para sua empresa ?'

[]s
Thiago S. Lino

Giovane Roslindo Kuhn disse...

Caro amigo Thiago...

Engraçado seria se não fosse verdade, realmente !!!

** quem esteve na Seminco, sabe do que estou falando **

Anônimo disse...

Giovane,
- onde se lê: 'Estava cansado de ler em blog daqui...'
- entenda-se: 'Estava cansado de ler em blogs daqui do Brasil ...'

Thiago S. Lino

Anônimo disse...

Cara, sou um perdigão(não por muito tempo)

A debandada de perdigões para outras granjas já começou.

Um dia a máscara cai.